Assine a Newsletter

Estudos

ESTUDANDO O EVANGELHO

Estudo_Evangelho
Postado 3 de dezembro de 2015 às 19:22   /   por   /   comments (0)

Capítulo III – Há Muitas Moradas na Casa de Meu Pai.

Item 7

Faria dos habitantes de uma grande cidade ideia completamente falsa quem os julgasse pela população de seus bairros mais ínfimos e sórdidos. Num hospital, só se vêm doentes e estropiados; numa penitenciária vêm-se reunidas todas as torpezas, todos os vícios; nas regiões insalubres, a maioria dos habitantes são pálidos, franzinos e enfermiços. Pois bem: figure-se a Terra como um subúrbio, um hospital, uma penitenciária, uma região insalubre, pois ela é simultaneamente tudo isso, e compreender-se-á porque as aflições sobrepujam os prazeres, já que não se mandam para o hospital os que se acham com boa saúde, nem para as casas de correção os que não praticaram mal algum, visto que nem os hospitais, nem as casas de correção são lugares de delícias. Ora, assim como numa cidade, a população não se encontra toda nos hospitais ou nas prisões, também na Terra não está a Humanidade inteira. E, do mesmo modo que saímos do hospital quando estamos curados, e da prisão quando cumprimos a pena, o homem deixa a Terra por mundos mais felizes, quando está curado de suas enfermidades morais.

Mundos Inferiores e Mundos Superiores

Item 8

A qualificação de mundos inferiores e mundos superiores é mais relativa do que absoluta. Tal mundo é inferior ou superior com relação aos que lhe estão acima ou abaixo, na escala progressiva. Tomando a Terra como ponto de comparação, pode-se fazer a ideia do estado de um mundo inferior, supondo os seus habitantes na condição das raças selvagens ou das nações bárbaras que ainda se encontram na sua superfície, e que são resquícios do estado primitivo do nosso globo. Nos mais atrasados, os seres que os habitam são de certo modo rudimentares. Tem a forma humana, mas sem nenhuma beleza. Seus instintos são abrandados por qualquer sentimento de delicadeza ou de benevolência, nem pelas noções do justo e do injusto. A força bruta constitui sua única lei. Sem indústrias e invenções, os habitantes passam a vida na conquista de alimentos. Deus, todavia, não abandona nenhuma de suas criaturas; no fundo das trevas da inteligência jaz, latente e mais ou menos desenvolvidas, a vaga intuição de um Ser Supremo. Esse instinto é suficiente para torná-los superiores uns aos outros e para lhes preparar a ascensão a uma vida mais completa. Visto que não são seres degredados, mas crianças em crescimento. Entre os degraus inferiores e os mais elevados, há inúmeros outros, sendo difícil reconhecer entre os Espíritos Puros, desmaterializados e resplandecentes de glória, aqueles que animaram os seres primitivos, do mesmo modo que no homem adulto custamos a reconhecer o embrião.

Comentários (0)

Escreva um comentário

Name E-mail Website Comentário